Da máquina de costura para o palco: artesã dá palestra sobre empoderamento

O Instituto C&A realiza anualmente o Encontro Nacional de Voluntários para gerente de lojas, voluntários e instituições parceiras. O objetivo é celebrar, compartilhar  e reconhecer as experiências inspiradoras.  Não foi por acaso que Ana Lúcia da Silva Franco, líder do grupo produtivo Fuxicarte, e Alice Freitas, cofundadora da Rede Asta, foram convidadas a falar no evento de 2017 com o tema Inspirar, Colaborar e Agir.

“Temos como convicção de que somos corresponsáveis pela vida coletiva e de que cada indivíduo tem um papel importante e intransferível a desempenhar no alcance do bem comum, assim como inspirá-los que a indústria da moda pode mudar e que é nosso papel apoiar iniciativas que irão fazer isso acontecer”, relata Daniela Pavan, gerente de Fortalecimento de Comunidades do Instituto C&A

É importante para o mundo que gigantes da moda como a C&A estejam em busca de que está indústria seja mais justa e sustentável. É importante que além de dar voz para a Alice como empreendedora social, Ana Lúcia, artesã brasileira também tenha recebido o convite para compartilhar sua história de mulher empoderada.

Ana Lúcia Duarte Fuxicarte Rede Asta - Foto de Pablo Pereira.JPG
‍Ana Lúcia do Fuxicarte no Encontro Nacional de Voluntários do Instituto C&A | Foto: Pablo Pereira

Ana Lúcia falou pela primeira vez com o público no TEDx que a Alice foi convidada e a levou junto. De lá para cá, ela tomou gosto por contar a sua história.

“É importante passar para as pessoas que através de um curso em um projeto social, minha história mudou. Elas precisam saber que os projetos sociais dão frutos para que não deixem de investir. Eu morava em comunidade, hoje não moro mais. Junto comigo outras mulheres tiveram renda através do Fuxicarte.” 

 Ana Lúcia Franco

Sachê perfumado Rede Asta.JPG

O trabalho da artesãs foi reconhecido pelo evento que presenteou o público com 500 sachês odorizadores de ambiente feitos pelo Fuxicarte. O que gerou renda, retirou resíduo têxtil do meio ambiente ao utilizar retalhos, valorizou o artesanato brasileiro e empoderou a artesã.

“Eram muitos jovens no evento querendo realizar e seguir em frente com projetos sociais. Eu me senti útil. Eles ainda receberam um brinde feito por mim! Ficaram felizes e vieram me dar os parabéns pelo meu trabalho”, 

 Ana Lúcia Franco