5 livros para mulheres e homens entenderem mais o feminismo

21/6/2018

Um dos pilares da Rede ASTA, o empoderamento feminino é um termo que se multiplica pelas mídias. Lemos sobre ele na internet, no jornal, assistimos na televisão e até ouvimos em músicas. No entanto, em meio a essa chuva de informações, é preciso calma para entender bem o assunto e evitar reproduzir ideias equivocadas por aí.

Para compreender melhor o feminismo, é necessário mergulhar a fundo em obras escritas por mulheres. Conhecimento é uma forma de se empoderar inclusive contra discursos feministas que ficam apenas nas palavras e não se concretizam em atos. Listamos cinco livros essenciais para quem quer começar a entender mais o tema.

1) O segundo sexo de Simone de Beauvoir

A "Bíblia" do feminismo. Publicada em 1949, o livro da filósofa francesa é atemporal e definitivo. Simone de Beauvior descreveu conceitos que foram e são aplicados por diversas vertentes do feminismo. A questão central do texto é “ser mulher” considerando sua condição sexual, psicológica, social e política.

capa-do-livro-o-segundo-sexo-de-simone-de-beauvior

2) O Mito da Beleza: como as imagens de beleza são usadas contra as mulheres de Naomi Wolf

Com dados estatísticos, Naomi Wolf revela o quanto o culto à "bela fêmea" manipula e prejudica as conquistas das mulheres. A escritora põe o dedo na ferida ao analisar as relações com a beleza feminina com o trabalho, a cultura, a religião, a sexualidade e a distúrbios alimentares e cirurgia plástica.

capa-do-livro-o-mito-da-beleza-de-naomi-wolf

3) Sobrevivi... posso contar de Maria da Penha

Uma obra autobiográfica sobre a história de dor e coragem da mulher que virou ícone da luta contra a violência doméstica no Brasil. Não por acaso, ela empresta seu nome a Lei nº 11.340, a Lei Maria da Penha, que garante a proteção das mulheres contra qualquer tipo de violência doméstica. O relato da trajetória da biofamarcêutica é uma forma de contribuir com transformações urgentes pelos direitos das mulheres.

capa-do-livro-sobrevi-posso-contar-de-maria-da-penha

4) Mulheres, raças e classes de Angela Davis

Publicado em 1981 nos Estados Unidos, o livro só foi traduzido para o português em 2016. Angela escreve sobre as tensões durante o movimento sufragista norte-americano. Ao abordar as diferenças entre as atuações de brancas e negras sem hierarquizá-las, a escritora criou uma ligação entre as lutas feministas. Já é considerado um clássico entre os estudos de gênero, raça e classe social.

capa-do-livro-mulheres-raças-classes-de-angela-davis

5) Sejamos todos feministas de Chimamanda Ngozi Adichie

Sensação da literatura mundial, a festejada escritora nigeriana trata do significado de ser feminista no século XXI. Adichie aborda o quanto o feminismo ainda é fundamental para libertar homens e mulheres das correntes do machismo. A obra é uma adaptação do discurso que Chimamanda fez no TEDxEuston, em 2012 no qual falou sobre igualdade e fuga dos estereótipos (inclusive, masculinos).

capa-sejamos-todos-feministas-de-chimamanda-ngozi-adichie

Se você já leu algum desses, deixe sua opinião nos comentários. Tem outros para indicar? Por favor, sugira para nós! Conhecimento foi feito para ser compartilhado e ainda podemos fazer outras listas.