Artesanato familiar: de neta para avó

19/1/2018

Jucione Calado Rodrigues dos Santos (28) começou a produzir crochê em 2014. Quando criança aprendeu o básico ao passar férias na casa de uma tia, mas se aperfeiçou sozinha lendo revistas e vendo tutoriais na internet. Uma artesã que nunca fez aula, tecia sozinha e vendia por encomenda. Com a procura crescendo precisou de mais mãos na produção e tornou-se professora. Indo contra a lógica padrão do artesanato de gerações, foi ela que ensinou sua mãe Terezinha Calado Rodrigues (56) e sua vó Joseja Herculina de Almeida Silva (80). Foi desse jeitinho único que nasceu o negócio produtivo artesanal Jjujju Crochê em Nova Friburgo/RJ.

Terezinha e Juju

Em 2016, começaram a vender semanalmente na Feira de Artesanato de Nova Friburgo que acontece na Praça Getúlio Vargas, a principal da Cidade. Ter um ponto fixo como canal de venda mostrou que era preciso administrar bem a produção das peças para atender aos clientes das encomendas e ter estoque suficiente para os da feira.

“A parte administrativa deixava a desejar. Estou me organizando, faço o controle de produto, me programo para produzir antecipadamente a coleção da estação seguinte. Tenho que me preocupar.”
Jucione Calado Rodrigues dos Santos

 

Jjujju Crochê aprendeu e assumiu essa postura empreendedora ao participar da terceira turma EntusiAsta, Escola de Negócio das Artesãs, viabilizada por uma parceria da Chevron com a Rede Asta. Esse trabalho conjunto com foco em empoderamento feminino e geração de renda para artesãs está capacitando 20 negócios produtivos artesanais em cinco núcleos no Estado Rio de Janeiro: Nova Friburgo, Campos dos Goytacazes, Macaé, Vale do Café e Município do Rio de Janeiro.

 Elas perceberam nas aulas que grande parte de suas peças são sanzonais, verão ou inverno, com exceção da Linha Casa. E por isso é preciso se antecipar para ter cachecol, casacos, túnicas e toucas na época de frio e biquinis, bodies e saídas de praia na época de calor. Nova Friburgo atende bem aos dois climas, quando as temperaturas caem, todos precisam de peças quentinhas para suportar o frio e quando sobem é hora de aproveitar as cachoeiras e os rios da região.

“Em setembro já começamos a produção Verão 2018. Queria começar até antes, mas em Friburgo ainda estava bem frio e as peças de inverno tendo procura.”
Jucione Calado Rodrigues dos Santos

 

A designer Lena Santana cocriou com as artesãs Coleção Moda Praia 2018. Ela trouxe um novo olhar sobre as cores para o grupo. Antes elas usavam apenas cores primárias e Lena trouxe para elas a possibilidade de trabalhar com cores complementares. O acabamento e detalhes também foram refinados a fim de entregar aos clientes peças mais sofisticadas e com maior qualidade.