Dicas de como ser um turista consciente

19/3/2019

Quem não gosta de viajar e viver novas experiências em lugares diferentes? Imagina viajar a lazer e cuidar do planeta e da sociedade ao mesmo tempo? É possível e prazeroso.

Na continuação da série sobre Turismo Sustentável aqui no nosso blog, saiba mais sobre o tema e como ser um turista consciente.

O termo “turismo sustentável” não se restringe a práticas de ecoturismo mas também turismo de base comunitária e turismo responsável. Como vimos no primeiro tema da série (http://redeasta.com.br/post/turismo-sustentavel-inclusao-social-e-desenvolvimento ), este tipo de turismo se concentra nos três pilares do desenvolvimento sustentável:econômico, social e ambiental. Isto significa que as iniciativas do turismo sustentável são ambientalmente amigáveis (baseadas nos 3Rs: reduza, reutilize e recicle) com o objetivo de protejer o patrimônio natural e cultural. O resultado dos projetos de turismo sustentável está em oferecer benefícios sociais e econômicos às comunidades locais, ou seja, o dinheiro gasto nesse tipo de turismo fica na economia local.

O turismo movimenta a economia de uma região, já que os visitantes se hospedam, se alimentam, fazem alguma atividade de lazer ou negócios – enfim, consomem produtos e serviços. Governo, empresas e sociedade devem se empenhar para que as atividades turísticas promovam a valorização cultural e a diversidade, além de reduzir a pobreza e o desemprego. E o visitante que vai usufruir dessas atividades também é parte importante do turismo sustentável e deve pensar e agir de forma responsável.

Separamos algumas dicas de turismo consciente para que você aproveite o seu destino sem prejudicar a região visitada:

1- Planejamento e escolha do roteiro

Os primeiros passos para que a sua viagem seja sustentável começa no planejamento, desde a comprada passagem aérea até o roteiro e passeios in loco.

- Procure por locais onde a ação do mercado turístico não impacte de forma significativa o ambiente natural e o desenvolvimento das comunidades locais.

- Avalie os passeios e atividades (se são feitos com pequenos grupos, usam acomodações e meios de transporte ecologicamente sensíveis).

- As iniciativas do local estão embasadas em construir consciência e respeito ambiental e cultural?

- Opte pelos roteiros em baixa temporada, evitando uma sobrecarga de pessoas no ambiente.

- Procure sobre ações sustentáveis de companhias aéreas para diminuir o impacto dos voos no ambiente. Há companhias que utilizam o biocombustível e investem nas calculadoras de carbono para diminuir os impactos ambientais.

- Fornecem benefícios financeiros e empoderamento para as pessoas locais?

-  As experiências propostas são positivas para os anfitriões, bem como para os visitantes?

- São ambientalmente amigáveis?

- O item que você está comprando é feito localmente? Por quem?

- Eles empregam pessoas locais?

2- Acomodação

Outro ponto é a escolha da hospedagem. Não é necessário acampar em um saco de dormir, no meio do mato, para ser ecofriendly. Existem outras formas de acomodações ecológicas, como o compartilhamento de casas, através de aplicativos como o Airbnb, uma opção para reduzir os impactos. Procure também hotéis menores, albergues e/ou pousadas comunitárias e de propriedade local, como exemplo a hospedagem na casa de artesãs do Vale do Jequitinhonha.

Caso esse tipo de acomodação não seja a sua praia, é possível encontrar hotéis e pousadas que adotem práticas sustentáveis:

- Busque selos de certificação concedidos a empresas turismo que atendam aos seus rigorosos padrões ambientais e sociais, como o Rainforest Alliance –Green Your Vacation

ou Green Globe, certificado que premia hotéis e hospedagens com boas práticas em sustentabilidade.

Em algumas preferências hoteleiras o investimento é alto. Mas os retornos vêm altos também, seja na redução de custos, na economia de recursos do planeta e, obviamente, nos laços estreitados com os hóspedes – que, estão cada vez mais atentos a tudo. 

 

Para avaliar os hotéis  de sua escolha, observe as seguintes medidas sustentáveis e inteligentes aplicadas no local:  

- Painéis solares, incorporados aos telhados, que garantem autossuficiência energética.

- Presença de plantas e árvores nativas cultivadas no local, estrategicamente plantadas para prevenir erosão.

- Redução do consumo de plástico.

- Programas de reciclagem de alimentos e estufas produzindo localmente itens frescos para os hóspedes.

- Práticas que reduzem emissões de CO2.

- Materiais utilizados na estruturação de origem sustentável, como exemplo, madeiras e lonas recicladas.

- Reciclagem de água da chuva eco cisternas para reduzir o desperdício de água.

- Energeticamente suficientes através de energia solar

- Prática de reaproveitamento de alimentos.

- Reciclagem de lixo.

- Orientação aos hóspedes para ações sustentáveis como separar o lixo gerado no estabelecimento.

- Utilizam a técnica SWAC (SeaWater Air Conditioning), uma tecnologia de ponta que retira água do mar do fundo do oceano para resfriar o sistema de ar condicionado, de maneira auto-suficiente e em sistema de looping, “devolvendo” a água ao oceano ao final do processo.

O SWAC sozinho é capaz de reduzir em90% o consumo desse tipo de energia, reduzindo significantemente os custos da hotelaria enquanto contribui para salvar o planeta – uma solução relativamente simples para ilhas desabitadas como exemplo, o atol de Tetiaroa que são rodeadas de água mas geralmente dependentes do continente para energia. 

- Ações sócio-ambientais tais como, reverter parte do lucro com o turismo em conservação e apoio às comunidades locais e projetos sócio-ambientais.

 3 - Apoie a economia local

A maioria do artesanato local sobrevive sazonalmente, de acordo com a época de visitação turística. Dados do Data Sebrae informam que 63% do lucro de artesãos brasileiros, provém dos últimos três meses do ano. Você, como um turista sustentável, pode ajudar a mudar esta escala de lucratividade dos artesãos. Viajar fora de temporada é vantajoso para o turista, que evita locais cheios e para o negócio local.  

Enaltecer a cultura e a gastronomia local é uma forma de movimentar a economia da região e contribuir para que a comunidade se desenvolva.

 - Na hora de comprar lembrancinhas, dê preferência ao artesanato local, apoiando assim os meios de subsistência, cultura e autossuficiência das pessoas. Fique atento ao material usado e não compre um souvenir que possa ter causado dano à natureza, como destruição de recifes corais, importantes para o equilíbrio da vida marítima

 - Valorize as comidas típicas em lugares familiares.

 - Escolha formas de transportes locais.

Foto: Max Brown

4- Respeite a cultura e as comunidades locais

Mais do que conhecer um destino e suas belezas, você pode ter o prazer de conhecer as pessoas que moram lá. Respeite sempre a cultura regional e aproveite para conhecer as diferenças e ouvir histórias que poderão ser lembradas quando você voltar para casa. Procure um guia local ou o ponto de turismo para se informar sobre as atrações e valorize o patrimônio regional.

Artesã local - Foto: Nate Greno

 

5- Respeite a Vida Selvagem.

Muitas pessoas podem sonham em fazer um passeio nadando com golfinhos,  montando em elefantes ou tirando fotos com tigres. Mas essas atividades podem estar fazendo mais mal do que bem. Se você está realmente interessado em visitar um lugar que protege os animais, então fique atento à organização e faça perguntas sobre a gestão do negócio. Uma organização respeitável não terá qualquer problema em enviar todas as informações que você quer saber.

Foto: Unsplash

 

6- Diga NÃO ao plástico

Viaje com uma garrafa reutilizável/squeeze (e um canudo reutilizável para quando for tomar uma água de coco) e uma sacola de tecido para todas as compras.

            

7- Use menos e seja respeitoso

 - Atente-se ao desperdício de água ou energia. Feche a torneira ao escovar os dentes, apague as luzes quando sair do quarto do hotel.

 - Evitar a troca desnecessária de roupa de cama e toalhas também ajuda a não desperdiçar água e energia.

 - Desligue o ar condicionado et ire os equipamentos da tomada.

 Pequenos atos já podem fazer a diferença. Sabe aquela toalha do hotel que você usou apenas uma vez e tem por costume destinar à lavagem? Reuse por mais dias. Aproximadamente 16% da demanda de água das hospedagens é usada na lavanderia, por isso, se você contribuir para a diminuição desse número, estará contribuindo para a preservação do meio ambiente.

 

8- Respeite as pessoas

Há uma linha tênue entre um turista que é convidado para uma comunidade para aprender e vivenciar uma experiência com os locais e um turista que trata a comunidade como um zoológico cheio de animais enjaulados que só estão lá para seu prazer e, claro, para tirar a cobiçada foto. Se você quer tirar fotos, lembre-se de sempre pedir o consentimento, especialmente se você optar por tirar fotos de crianças.

Lembre-se, que uma vez que você se torna um viajante responsável e sustentável, você deve transmitir essa informação para educar os outros. Nossas ações quando viajamos podem ter um grande impacto. Então, certifique-se de que ele é positivo.

 

9- Desloque-se com consciência

- Procure fazer os seus passeios a pé ou de bicicleta, pois desta forma não há emissões de gases de efeito estufa, causadores das mudanças climáticas

- Planeje o roteiro de viagem de forma a não gastar combustível à toa.

- Deixe os veículos motorizados para trechos longos e dê preferência ao transporte público sempre que possível.

Outra dica é buscar realizar os seus passeios a pé ou de bicicleta. Dessa forma, você evita o estresse do trânsito e a emissão de gases poluentes provenientes da queima de combustíveis.

Transporte local - Foto: Majkl Velner

 

10 - Não deixe nada no caminho

- Atenção aos resíduos que você gera quando visita um local – eles são de sua responsabilidade.

- Sempre destine corretamente e, de preferência, separe aqueles que podem ser reciclados.

- Se estiver em uma trilha, praia ou outro lugar onde não houver coleta de lixo, leve um saquinho para carregar os seus resíduos e destiná-los a um local correto, sem poluir o meio ambiente.

- Se possível, ajude a recolher o lixo que foi descartado inadequadamente.

 

11 - Não retire nada no caminho

Ao fazer passeios em áreas ambientais, não recolha plantas e animais, pois isso pode prejudicar o ecossistema. A melhor recordação que você pode ter é uma linda foto, além de boas histórias para contar.

 

12 - Mala na medida certa

Escolha roupas versáteis que combinem facilmente entre si e sirvam para diversas situações. Isso facilita o deslocamento e pode ajudar a diminuir os gastos com transporte e com energia na lavagem.

 

Enfim, estas são algumas dicas para você pensar a respeito e programas a sua próxima viagem de forma mais sustentável. Muito pode-se fazer para colaborar com um mundo melhor.

Não pense que essas dicas são apenas para viagens grandes, caras e internacionais. Sem dúvida um roteiro internacional é muito especial, mas valoriza a beleza e riqueza natural de seu país ou cidade. Uma simples busca na internet o levará a locais próximos de você a serem visitados, com a capacidade de reduzir o impacto ambiental do passeio, que incentive o turismo local e o desenvolvimento da economia local também. E sem gastar muito dinheiro!