Lucimara e a Hasya Confecção

28/6/2018

Sabe aquela paixão que você não sabe bem como começou? Lucimara Camargo, fundadora da Hasya Confecção, tem isso com a costura. Desde criança suas bonecas tinham roupinhas feitas pelas suas mãos.

“Eu tinha apenas 9 anos de idade, quando um dia minha mãe saiu para fazer compras, e eu armei aquela ”Vigorelli” antiga, passei a linha conforme tinha visto ela fazer e comecei emendar aqueles retalhos que previamente eu deixei cortado para essa aquela oportunidade...”

 Nesse dia, ela fez tudo escondido. A fascinação e noção de como a máquina funcionava vinha do olhar sua mãe trabalhando. Costurar sem técnica é perigoso, por isso, seu pai intercedeu para que a mãe ensinasse a menina a usar o equipamento. Com tão pouca idade as escolas não a aceitariam e o dinheiro era curto.

“E lá estava eu: feliz da vida confeccionando meu primeiro short que foi cortado pela minha mãe!”

Aos 15 anos, decidiu sair de Ponta Grossa no Paraná rumo a grande São Paulo para tentar entrar em uma confecção e aprender mais sobre a técnica que tanto a encantava. Não foi tão simples, precisou ser babá e garçonete para se sustentar até que a primeira grande confecção dar espaço para ela trabalhar e ter o primeiro contato com máquinas industriais.

“Me apaixonei por elas! Toda vez que acabava o serviço no setor em que eu trabalhava,eu ia ajudar em outros setores porque eu queria aprender trabalhar em todas aquelas máquinas. Fiz de cada empresa que trabalhei, uma escola e de todas a minha faculdade”.

Quando voltava para casa após a jornada de trabalho ainda tinha várias clientes da vizinhança esperando. Apesar da pouca idade, era responsável pelo seu próprio sustento e isso não deixava margem para que pagasse cursos. O de modelagem ela começou, mas quitar as contas junto com curso e material se mostou inviável. O jeito foi usar seu talento e desenvolver seu próprio método. Com 22 anos seu acabamento já era impecável e deu a ela uma vaga como orientadora técnica de costura em uma escola de moda. Lá pôde aperfeiçoar seu trabalho com os moldes.

“Essa foi a minha oportunidade de ouro! O treinamento que deveria durar um mês intensivo e eu realizei em 2 semanas, tamanha foi a minha dedicação. Afinal, eu estava em uma tão sonhada escola de moda. E o melhor, não estava pagando nada. Ao contrário,estava recebendo por isso!”

Após seu casamento, ainda trabalhava fora, mas começou a comprar suas máquinas para trabalhar poder trabalhar somente por conta própria e acompanhar de perto a criação dos filhos pequenos. Após emprestimo e orientação da Aliança Empreendedora, comprou o último equipamento que desejava para sua oficina e saiu da informalidade.

Como aprender para fazer melhor sempre foi sua força motivadora, buscou capacitação em outros lugares. Aprendeu silk screen e técnicas de vendas. Conquistou clientes corporativos, além da confecção de roupas sociais e de festa para clientes particulares e das feiras livres. Tudo estava funcionando bem até que seu esposo faleceu e recomeçar não foi fácil.

“Eu tinha uma grande perspectiva e estava muito, mas infelizmente em 2011 fiquei viúva. Perdi o chão e a motivação para continuar sozinha,pois ele me ajudava muito na feira e tive que cancelar minha licença. Fiquei sem trabalhar por alguns meses e pensei até em me desfazer de todo o equipamento da oficina. Mas esse dom foi Deus quem me deu, assim como tudo o que tenho conquistado até agora. Quando fiz uma retrospectiva desde quando comecei, o quanto foi difícil comprar cada equipamento,quantas privações eu e minha família passamos, noites sem dormir confeccionando as encomendas, quantas vezes abri mão de passeios, lazer ou até mesmo de um descanso no final de semana.”

O trabalho na Hasya voltou e a satisfação no rosto das pessoas ao usar uma peça feita por suas mãos, que é a sua grande motivação, ajudou nesse processo de retomada. Hoje em seu ateliê de 32m² na periferia de Diadema trabalha com duas filhas e a terceira ajuda sempre que a produção cresce. Bordadeiras, estamparia e motoboy são parceiros para que cada entrega seja de confecção de roupa ou de acessório aconteça com qualidade e perfeição.

“Sou movida a desafios, abraço cada  oportunidade e tenho muita fé em Deus que tudo já deu certo.Tenho essa frase comigo: Se você acha que pode ou que não pode, você está certo.”
Hasya Confecção: Lucimara e filhas