Você sabia que comprar de mulheres movimenta mais a economia?

19/3/2020

O Banco Mundial diz que as mulheres são responsáveis por 75% da compra de bens de consumo e que 60% da sua renda é destinada à família, contra menos de 40% dos homens. Isso significa que quando uma mulheres é remunerada, ela investe mais na educação dos seus filhos,com a alimentação da família e com as necessidades da casa, causando impacto econômico e social direto.

O BID (Banco Intramericano de Desenvolvimento) afirma que, para além da questões de diretos, gerar renda para mulheres é fundamental para a economia de países e empresas porque estudos mostram que a equiparação salarial entre homens e mulheres aumentaria em 16% o PIB (Produto Interno Bruto) da América Latina. Por isso, apostar em projetos feitos por mulheres não é filantropia ou pegar uma onda da moda para pegar bem para a imagem, é investimento econômico e social.

De acordo com a pesquisa“Empreendedorismo no Brasil: um recorte de gênero” da Rede Mulher Empreendedora, 38% das empreendedoras têm seus negócios como principal fonte de renda familiar e que para elas o principal desafio é gerenciar o tempo de trabalho com o tempo de dedicação à família. O estudo também diz que mulheres geram emprego e oportunidades para outras mulheres, fomentando um rede decrescimento, aprendizado e apoio. Logo, movimentando ainda mais a economia.

Todos esses dados mostram o que de modo qualitativo a Rede Asta vem vivenciando em seus 15 anos de educação empreendedora e abertura de canais de vendas para artesãs brasileiras.

“ Tenho muito orgulho de poder investir na educação dos meus filhos e na minha também. Eles [os filhos]sabem que esse trabalho também dá a eles a oportunidade de estudar, de comprar o que gostam e de ter uma profissão.” Ana Cristina Krugel – Grupo Arte em Família
“Nunca vou me esquecer da sensação de ganhar algo com meu próprio trabalho. Investi tudo em casa mesmo e eu não queria mais parar.” Ana Lúcia Franco – Grupo Fuxicarte
“Antes minha ocupação era assistir televisão. Saí de casa para costurar e vim para a Charlotte. Eu me empoderei como mulher. Agora eu sei gerenciar, fazer gestão financeira, eu sei vender.” Djenane Martins – Grupo Charlotte

As empresas que ao longo desses anos compraram produtos e brindes feitos pela nossa rede e/ou investiram em projeto de educação empreendedora para as artesãs da Asta fazem parte da nossa história de diminuição das desigualdades de gênero e sociais. Se quiser conhecer mais de nossos projeto, manda um e-mail para contato@redeasta.com.br.