Economia circular: mais do que o consumo consciente, é a produção consciente

14/8/2018

Falamos muito do consumo consciente e é um assunto mais do que necessário, mas não único. Podemos e devemos repensar o que compramos, usamos e quais os impactos do descarte desses bens futuramente. Porém, a produção do que compramos também deve entrar em pauta. Como o produto foi feito? Quais as condições de trabalho de quem fez? Quais as condições ambientais? Como esse produto chegou até mim? E depois entram outras perguntas a nível de consumidor: qual a vida útil desse item? Posso dar novos usos? Quando nada mais for possível como eu descarto?

Em um mundo que a economia circular funcione, todos esses questionamentos terão resposta porque as empresas que criam algo serão as responsáveis pelo produto do começo ao fim de sua utilidade. Hoje estamos acostumados com o modelo linear de consumo e de produção: extrair, transformar, descartar. No modelo circular, um ecossistema aproveita a energia do outro.

Tirar isso do mundo dos conceitos para a prática é um desafio. A Ellen MacArthur Foundation criou o Programa CE100, onde as empresas de cada país se comprometem a juntas buscar soluções circulares para o seus negócios. No Brasil, a Rede Asta é um dos membros e em 2017, um relatório inicial sobre Uma Economia Circular no Brasil foi lançado.

Boas práticas acontecendo por aí

Programa Crayola Colorcycle 

Canetinhas Crayola são transformadas em biocobustível em um processo circular

A fabricante de canetinhas Crayola, criou um programa que transforma as embalagens de canetinhas que acabaram em energia limpa. As escolas nos Estados Unidos e no Canadá criam postos de coleta para as canetinhas que não tem mais uso, a Crayola envia um ticket de postagem, a escola encaminha os resíduos que irão para a empresa JBI, Inc., parceira da Crayola nesse modelo circular, lá eles tem um processo exclusivo para converter plásticos residuais em combustíveis ultra-limpos e com teor de enxofre ultra-baixo. As emissões de seu processo P2O são menores do que o que um forno a gás natural do mesmo tamanho produziria!

Crianças participando da ação da Crayola

O intuito da Crayola é criar consciência ambiental em parceria com as instituições de ensino para desde pequenos, as crianças já pensarem no impacto que as coisas tem no meio ambiente e soluções para que o saldo seja positivo.

Mas e no Brasil? Por aqui tem um programa da HP que você precisa conhecer!

Planet Partners da HP

Campanha da HP de reciclagem de cartuchos e toners

No programa você devolve para a HP os cartuchos vazios e ela recicla. Atualmente 100% do plástico que ela recebe é reinserido na cadeia produtiva. Nos Estados Unidos, eles viram um novo cartucho HP. Por aqui, eles se tornam parte de impressora, parte de embalagem de notebook (como a alcinha das caixas) e outros produtos.

Lojas Kalunga e Carrefour são alguns dos postos que recebem gratuitamente seus cartuchos para encaminhar ao programa da HP, você pode conferir outros locais aqui. Se você juntar mais de 5 cartuchos de tinta e/ou toners ou qualquer outro equipamento HP, eles são coletados na sua casa ou escritório ou a HP te manda um voucher para você encaminhar para eles gratuitamente pelos correios.

Há muito ainda ser feito, estudado e pensado. Se quiser entender mais de onde surgiu a Ellen MacArthur Foundation, assista o vídeo da Ellen MacArthur sobre como sua vida de velejadora e a volta ao mundo que deu, a fez repensar e querer fazer algo mais concreto pelo Planeta: